Porto Alegre no topo do vazio

  Ainda dou melancólicas risadas quando me lembro que, ao iniciarem efetivamente as tratativas para o Mercosul, as autoridades gaúchas, enfiadas dentro de suas alpargatas e bombachas declararam espetaculosamente que Porto Alegre "seria a capital do Mercosul". Ao dizerem isso, em sua empáfia de gaudério acostumado às charlas do mate, esqueceram, de um só chiste, … Continue lendo Porto Alegre no topo do vazio

Anúncios

O bife

José Paulo Paes    Onde é  Que está  Meu bife?    Fugiu do açougue  Sumiu da cozinha  No prato não acho    Quem sabe me diga:  Será que meu bife  Está noutra barriga?    Meu bife  Era a cavalo:  Um ovo estalado  Com batata frita    Porém me lembrei:  Sendo bife a cavalo  Fugiu no … Continue lendo O bife

Gotán

Juan Gelman   Esa mujer se parecía a la palabra nunca, de su nuca le subía un encanto particular una especie de olvido donde guardar los ojos, esa mujer se me instalaba en el costado izquierdo.   Atención atención yo gritaba atención pero ella invadía como el amor, como la noche, las últimas señales que … Continue lendo Gotán

Pequena crônica de amores e de cidades

Uma cerveja, um copo, um bar, talvez mesmo um pouco de vodca, ou uma esfia que infiltrou-se na conversa como um copo de bitter... Nada, não pensemos tanto, que as tardes do verão serão devoradas por Chronos, em desatinos contados em minutos, em nanossegundos... Os dias passarão de uma forma leve, quase etérea, e o … Continue lendo Pequena crônica de amores e de cidades

Estou nu

Estou nu. Sento sob a grama, recosto-me em alguma árvore e uma sensação de intenso relaxamento me invade. Não sei quando tempo fico ali, tentando fazer com que meus pensamentos não perturbem minha paz temporária. Busco não pensar em nada, simplesmente deixar que meus pensamentos flutuem sem direção, como rolhas jogadas ao rio. Que eles … Continue lendo Estou nu

A tepidez e os pequenos infortúnios ou algo sobre as palavras.

  Escrevo como se as palavras me fossem amigas, amantes, conspícuas, tépidas, amoráveis; cada uma lembra uma deliciosa carícia docemente silenciosa. Há contudo outras, duras, sem graça, como metonímia, e mesmo difíceis de serem escritas, como arteriosclerose, relatório, rubicundo. Se notarmos bem, termos técnicos não se constituem de palavras fluidas. Nada mais carnal que volúpia, … Continue lendo A tepidez e os pequenos infortúnios ou algo sobre as palavras.