Essa mulher

Essa Mulher

 

A que nunca amei e me ama pensa em mim à noite

antes de dormir, e nos escombros do sono

vê o meu rosto suave, arrogante, de há muitos anos

e sente uma mão fria empunhar-lhe o coração.

 

É bela a que nunca amei e me ama, cada vez mais bela

com seus cabelos soltos ao sopro da memória,

com uma voz onde sonham luas que jamais iluminaram

um caminho que me levasse à que nunca amei e me ama.

 

É doce essa mulher que acorda e diz o meu nome

com unção. Seus olhos me fitam do longínquo

e doem em mim como dói nessa mulher que me ama

amar quem nunca a amou, disperso em seus enganos.

 

A que nunca amei e me ama acaricia a minha ausência

com pena de mim, que teria sido feliz, bem sabe,

se a tivesse amado; a ela, que me ama e nunca amei

e nunca hei de amar, como até hoje, amargamente

 

RUY ESPINHEIRA FILHO

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s